Dia Mundial da Meteorologia é celebrado no dia 23 de Março. Essa data comemorativa foi instaurada no ano de 1961 por ser o aniversário de criação de OMM (Organização Meteorológica Mundial, instituição ligada à ONU e que existe desde o ano de 1950). Atualmente, essa organização possui a adesão de 189 países.

A meteorologia é a ciência que estuda a atmosfera e os seus fenômenos, sendo a responsável por estabelecer previsões e diagnósticos sobre o estado atmosférico em períodos relativamente curtos, ou seja, os meteorologistas direcionam seus apontamentos às questões relativas ao tempo atmosférico, diferentemente da climatologia, que estuda o clima. No entanto, é claro que os conhecimentos sobre uma área são importantes para a compreensão da outra, pois ambas estão inter-relacionadas.

A obra mais antiga que se tem notícia sobre essa importante área do saber é creditada a Aristóteles. Publicada em 340 a.C., o trabalho intitulado Meteórica realizava uma descrição sobre os diferentes elementos atmosféricos, envolvendo tanto as suas características predominantes quanto as suas dinâmicas.

A expressão em grego “metéõros” significa “suspenso nos céus” e era o termo utilizado por Aristóteles para designar toda e qualquer partícula advinda da atmosfera ou que nela estivesse encontrada. Atualmente, o termo meteoro é exclusivamente utilizado para partículas sólidas, enquanto as partículas de água ou gelo são chamadas de hidrometeoros.

A importância da meteorologia vai muito além de saber “se vai chover hoje”. Ela possui o mérito de enumerar dados sistemáticos sobre as alterações no comportamento da atmosfera ao longo do tempo, fornecendo informações precisas sobre as alterações climáticas ao longo dos anos e décadas. Além disso, é graças à meteorologia que adversidades climáticas são previstas e muitas tragédias são evitadas.

No Brasil, por exemplo, centenas de pessoas morreram em julho de 1871 após uma tempestade ocasionar o naufrágio do Navio Apa, no litoral do Rio Grande do Sul. Esse episódio chocou todo o país e influenciou as autoridades a implementar uma rede meteorológica nacional a fim de melhorar o serviço no país que, até então, encontrava-se desestruturado.

Ao longo do tempo, os instrumentos utilizados pelos meteorologistas foram se desenvolvendo e, com eles, a precisão das previsões do tempo foi melhorada em níveis exponenciais. Entre esses instrumentos, podemos citar o higrômetro, criado ainda na Idade Média, o cata-vento de Leonardo da Vinci, o termômetro de Galileu Galilei e o barômetro de Evangelista Torricelli. Ao longo do século XX, a melhoria nas técnicas e a precisão dos dados, fato ocasionado, sobretudo, pela obtenção de imagens de satélite, vêm creditando à ciência meteorológica uma precisão cada vez maior, o que favorece as ações humanas e proporciona melhorias na qualidade de vida da sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X
Open chat