Cem mil profissionais da educação já fizeram o cadastro obrigatório para serem vacinados contra a Covid a partir do dia 12 de abril no estado de São Paulo. Para conseguir fazer o cadastro, é necessário ter pelo menos dois meses de trabalho e apresentar os dois últimos holerites.

“Nós acabamos optando por essa situação do holerite porque nós temos, obviamente, uma apreensão muito grande com possibilidade de fraudes. Vacina é algo muito importante, nós precisamos ter um respeito muito grande com o formato, por isso, fazer o cadastro e obedecer as regras neste momento é fundamental”, afirmou Rossieli Soares, secretário estadual da Educação. Os profissionais que ainda não tiverem completado dois meses de trabalho serão imunizados na próxima fase de vacinação, que ainda não tem data prevista.

Segundo a Secretaria Estadual de Educação, os funcionários só poderão receber a primeira dose da vacina após o sistema validar o registro e gerar um código, que deverá ser apresentado nas unidades de saúde dos municípios.

Na primeira etapa, serão vacinados 350 mil profissionais com 47 anos ou mais que atuam desde creches ao ensino médio, nas redes estadual, federal, municipais e particulares do estado, o equivalente a cerca de 40% do total dos funcionários que atuam na área da Educação.

“Obviamente, vão ser todos vacinados. Na primeira etapa, nós estamos priorizando quem está a frente daquilo que é a essencialidade da educação que é a escola”, disse o secretário. Ele afirmou que a pasta deve divulgar nesta semana o número de profissionais mortos pela Covid e infectados com a doença.

oderão ser vacinados os profissionais com idade mínima de 47 anos:

  • Professores da Educação Básica;
  • Merendeiras;
  • Auxiliares de serviços gerais e faxineiros;
  • Secretários da escola;
  • Diretores e vice-diretores;
  • Professores coordenadores pedagógicos;
  • Cuidadores.

Como cadastrar

Os profissionais devem fazer o cadastro no site https://vacinaja.sp.gov.br/educação, com informações do CPF, nome completo e e-mail.

Em seguida, ele receberá um link no e-mail indicado e será necessário acessá-lo para dar continuidade ao cadastro.

No passo seguinte, o profissional deve confirmar os dados pessoais e apontar nome da escola, rede de ensino, município e cargo ocupado. Também será necessário anexar os dois últimos holerites.

Na sequência, o cadastro passará por um processo de análise e, se validado, o profissional receberá em seu e-mail o comprovante VacinaJá Educação. O documento terá um QRCode para verificação de autenticidade.

No momento da vacinação, o profissional da educação deverá apresentar o comprovante VacinaJá Educação, RG e CPF para conferência dos dados pelo profissional de saúde.

Caso o usuário não apresente o comprovante VacinaJá Educação ou o seu número de CPF não conste no comprovante apresentado, não poderá ser imunizado.

Aulas presenciais

O estado manteve a autorização para as escolas funcionarem independente da fase da quarentena e publicou um decreto incluindo a educação como serviço essencial.

Na rede estadual, o governo antecipou os recessos de abril e outubro e suspendeu as aulas até o dia 28 de março.

As escolas podem voltar a receber alunos presencialmente com 35% da capacidade a partir do dia 5 de abril, mesmo na fase emergencial, desde que sejam autorizadas pelas prefeituras das cidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X
Open chat